Desvendando os mistérios da química orgânica

Antigamente, os compostos químicos eram divididos entre orgânicos e inorgânicos. Mas qual era a diferença? Aqueles intitulados orgânicos eram as substâncias produzidas por um organismo vivo (animais, vegetais, bactérias, etc). Assim, a química orgânica recebeu esse nome para descrever substâncias relacionadas aos organismos vivos. Nessa época, acreditava-se que elas só podiam ser produzidas a partir de organismos vegetais e animais, não em laboratório. Esse pensamento foi batizado de Teoria da Força Vital ou vitalismo.

Um tempo mais tarde ficou comprovada a possibilidade de sintetizar compostos orgânicos em laboratório. A partir daí o conceito de química orgânica foi definido como o ramo da química que estuda a maioria dos compostos formados pelo elemento carbono. No entanto, alguns compostos contendo carbono são estudados na química inorgânica e chamados de compostos de transição: monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (CO2), carbonatos (CaCO3), hidrogenocarbonatos (HCO32–), cianetos (CN1–), entre outros como as formas alotrópicas do carbono, ou seja, o carbono diamante, o carbono grafite e o fulereno.

Propriedades do Carbono

O carbono é tetracovalente, ou seja, precisa realizar quatro ligações, que podem ser feitas de diferentes maneiras, para tornar-se estável. Além disso, o carbono apresenta a propriedade do encadeamento, ou seja, ele pode se ligar a outros elementos ou a outros átomos de carbono, formando as cadeias carbônicas. O carbono apresenta também caráter anfótero, ou seja, ele pode apresentar diversos valores de número de oxidação, dependendo do tipo de elemento ao qual ele encontra-se ligado. Assim, por causa dessas propriedades, formam-se milhões de compostos orgânicos, uma quantidade bem maior do que a de compostos inorgânicos.

Estes compostos de carbono são agrupados em diferentes funções, cada função orgânica representa um conjunto de moléculas com estruturas semelhantes e comportamentos químicos parecidos. Dentre as principais funções orgânicas, estão as funções álcool, fenol, ácido carboxílico, aldeído, cetona, éster, haleto de ácido, amina, amida, nitrocompostos, éter entre outras.

Aplicações do carbono

O elemento carbono faz parte de todas as estruturas orgânicas que existem, as quais são fundamentais para a manutenção da vida no planeta, tais como os alimentos, as vitaminas, os remédios, os polímeros naturais como celulose, polissacarídeos e proteínas. Na indústria, o carbono faz parte de todos os polímeros artificiais, como o polietileno, o policloreto de vinila, as poliamidas, as borrachas sintéticas entre outros. Esse elemento faz parte também de diversos compostos inorgânicos importantes, como o dióxido de carbono, o grafite, o diamante, os carbonatos entre outros.

Voltar para o Blog